FLORES O ANO INTEIRO

Por Thaís Pompeo

FLORES O ANO INTEIRO

Maria Emilia é uma alagoana que gosta dos grandes números. Criou sete filhos, “todos do mesmo home”, acrescenta rindo. Entre as atenções dispensadas para a família, ela arrumou tempo para cuidar de si, literalmente, cultivando as flores do seu jardim. O zelo virou paixão e a paixão virou um bom negócio. Hoje, Emilia tem uma produção respeitável – 35 hectares de flores tropicais – e acaba de importar 64 mil mudas de antúrios, vindas diretamente da Holanda.

]Tudo começou há 28 anos, quando recém-casada, Emilia foi morar com a sogra, que colecionava plantas como hobby, no município de Coruripe, no interior de Alagoas. Com a convivência, criou intimidade e apreço pelo jardim da mãe do marido e descobriu ali um dos seus maiores tesouros: a arte em cultivar flores tropicais.

Alagoas apresenta suas flores

SEBRAI

Decorar com plantas tropicais, além de seduzir clientes e motivar funcionários, embeleza e humaniza o local de trabalho, tornando-o singular.

Um bom projeto de decoração ajuda a vender a sua empresa, valoriza a construção, de modo que a edificação ganha força e destaque. Os projetos deixam o ambiente mais agradável e produtivo, criando um clima propício à produtividade e ao bom humor.

Plantas tropicais e exóticas constituem uma das maiores riquezas da flora alagoana. Exuberantes, coloridas e com formas inusitadas, elas são apreciadas não só por sua beleza, mas também por sua durabilidade e pela capacidade de gerar composições surpreendentes. São ótimas para todas as ocasiões, com seus arranjos e combinações particulares.

O exótico na forma de flor

Revista Produz / Edição n° 40 / Junho de 2009

O exótico na forma de flor
O exótico na forma de flor. Maria Emília iniciou a produção de flores tropicais para curar uma doença emocional e hoje é referência na produção nacional.

O agronegócio de flores e plantas ornamentais é um segmento ainda pouco expressivo no país devido ao baixo consumo per capita. Isso se deve ao fato que a compra de flores ainda está muito ligada a determinados eventos (funerais, casamentos, dia dos namorados etc). Além disso, a pouca quantidade de floriculturas e a logística de distribuição (como compartimentos em aviões) são outros fatores limitantes para esse mercador.